Conheça mais

Sobre a USP

Criada em 1934, a Universidade de São Paulo é uma das mais importantes instituições de nível superior do Brasil. O talento e dedicação dos docentes, alunos e funcionários têm sido reconhecidos por diferentes rankings mundiais, criados para medir a qualidade das universidades a partir de diversos critérios, principalmente os relacionados à produtividade científica.

No ranking Academic Ranking of World Universities (ARWU), criado em 2003 e elaborado pelo Center for World-Class Universities da Shanghai Jiao Tong University, que classifica as 500 melhores universidades do mundo, a USP ficou na 147ª posição.

A USP está na 29ª colocação no Webometrics Ranking of World Universities 2014, que considera os conteúdos disponibilizados na internet, especialmente aqueles relacionados a processos de geração e comunicação acadêmica de conhecimento científico. A Universidade está em 1º lugar também no ranking Webometrics que avalia somente as universidades da América Latina e no que classifica os países dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

No ranking do The Times of Higher Education (THE), criado em 2004, a USP ficou em 2013 entre as 250 melhores instituições do mundo. Na pesquisa do THE que classifica as melhores universidades dos países do Brics e outras 17 economias emergentes, como Chile, República Tcheca, Polônia, México, Peru e Egito, a USP ficou na 11ª posição entre as 100 instituições avaliadas.

No SIR World Report 2013, elaborado pela Scimago Lab, a USP é considerada a universidade brasileira que mais publicou artigos científicos, indexados na base de dados Scopus, entre os anos de 2007 e 2011, entre as instituições de ensino superior de todo o mundo. Quando se leva em conta o número total de publicações (desconsiderando trabalhos feitos por academias de ciência, hospitais, fundações e centros nacionais de pesquisa), a USP é a instituição brasileira mais bem colocada – ficando em 5º lugar no ranking mundial, com 48.156 trabalhos publicados entre 2007 e 2011.

A USP está na 127ª colocação no QS World University Ranking 2013, realizado pelo Quacquarelli Symonds (QS), instituto britânico especializado em educação superior e carreiras, e é a única instituição brasileira a figurar entre as 200 melhores do mundo e também é a latino-americana mais bem colocada – pelo terceiro ano consecutivo – no qual foram avaliadas cerca de 2 mil instituições de ensino superior em todo o mundo e classificadas as 700 melhores, considerando indicadores como reputação acadêmica, reputação entre os empregadores, taxa de professores por estudantes, citações e taxas de professores e alunos estrangeiros. A Instituição ficou na oitava posição entre as 100 melhores universidades dos países do Brics, de acordo com ranking realizado pelo QS, em parceria com a agência de notícias russa Interfax.

O Performance Ranking of Scientific Papers for World Universities, da National Taiwan University (NTU), que classifica as 500 melhores instituições de ensino e pesquisa do mundo através do número de artigos científicos publicados, atribuiu à USP em 2013 a 58ª posição. E a instituição é a primeira colocada, nesse ranking, entre as universidades latino-americanas.

Além do bom desempenho nos rankings internacionais, a USP obteve o 1º lugar, pela segunda vez, no Ranking Universitário Folha (RUF), criado pelo jornal Folha de S. Paulo em 2012, para classificar 192 universidades brasileiras, de acordo com indicadores que avaliam a pesquisa, a inserção no mercado de trabalho, o ensino, a inovação e a internacionalização da instituição. E, a USP é a ganhadora do Prêmio Melhores Universidades do Ano, na categoria pública, realizado pelo Guia Abril do Estudante, da Editora Abril.

Esse desempenho, gerado ao longo de 80 anos de uma intensa busca pela excelência, permite à USP integrar um seleto grupo de instituições de padrão mundial. Sua graduação é formada por 249 cursos, dedicados a todas as áreas do conhecimento, distribuídos em 42 Unidades de Ensino e Pesquisa, com mais de 58 mil alunos. A pós-graduação é composta por 239 programas, dos quais fazem parte 332 cursos de mestrado e 309 de doutorado e que têm mais de 28 mil matriculados. Atualmente, a USP é responsável por 22% da produção científica do país.

Para desenvolver suas atividades, a USP conta com diversos campi, distribuídos pelas cidades de São Paulo, Bauru, Lorena, Piracicaba, Pirassununga, Ribeirão Preto, Santos, São Carlos, além de Unidades de Ensino, Museus e Centros de pesquisa situados fora desses espaços e em diferentes municípios.

 

Video institucional:

Sobre a EESC

A Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) é uma das unidades de ensino, pesquisa e extensão da Universidade de São Paulo (USP), instituição pública e de padrão mundial, que hoje integra um grupo seleto reconhecido por diferentes rankings internacionais (veja alguns). Contribuindo significativamente para consecução dessa excelência, a EESC foi implantada em São Carlos, na segunda metade do século XX, e alavancou o desenvolvimento tecnológico e educacional da cidade, que hoje é conhecida como A Capital da Tecnologia. Sua evolução e desdobramento resultaram na criação das demais unidades que compõem o câmpus universitário local (IAU, ICMC, IFSC e IQSC).

"Nesta casa se procura a verdade científica e a técnica de adaptação
das energias da natureza a serviço da humanidade".

Prof. Theodoreto de Arruda Souto, primeiro diretor da EESC

Através de seus 10 cursos de graduação (Aeronáutica, Ambiental, Civil, de Computação, Elétrica/Eletrônica, Elétrica/Sistemas de Energia e Automação, Materiais e Manufatura, Mecânica, Mecatrônica, Produção), forma engenheiros altamente qualificados para atender às demandas do mercado de trabalho ou seguir carreira acadêmica. Durante a Graduação, o aluno tem a possibilidade de se envolver com o mundo da pesquisa, através de projetos integrados, atividades extracurriculares ou no contato com 10 Programas de Pós-Graduação (Hidráulica e Saneamento, Elétrica, Mecânica, Transportes, Geotecnia, Estruturas, Produção, Ciências da Engenharia Ambiental, Ciência e Engenharia de Materiais e Bioengenharia), um deles oferecido em parceria com outras unidades. Esses programas, todos com níveis de mestrado e doutorado, objetivam a formação de docentes, pesquisadores e profissionais especializados e possibilitam uma valiosa interface com a graduação. São mais de 70 grupos temáticos trabalhando diretamente com pesquisa, distribuídos em nove Departamentos.

A EESC é referência nacional na área de Engenharia e tem contribuído para o desenvolvimento da sociedade brasileira, com aplicação e difusão dos conhecimentos científicos, culturais e tecnológicos. Também atenta aos novos paradigmas globais, tem estabelecido ações de internacionalização, com a realização de convênios com instituições estrangeiras e a implementação de programas de mobilidade.

Sua infraestrutura é composta por laboratórios, salas de aula, biblioteca, centros de informática, prédios administrativos e centros de apoio que totalizam mais de 71 mil metros quadrados de área construída.

 

Video institucional

Sobre o Campus

A implantação da USP em São Carlos começa no ano de 1948, com a criação da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Efetivamente, as atividades tiveram início cinco anos depois, com a primeira aula proferida no dia 18 de abril de 1953, no prédio que hoje abriga o Centro de Divulgação Científica e Cultural (CDCC), no centro da cidade.

Não demorou muito e a sede da Escola ficou pequena. Assim, em 1956, a unidade foi transferida para uma área bem maior, onde se constituiu o campus universitário.

No novo espaço, as atividades da Escola de Engenharia vão se multiplicando e, como resultado de um transbordamento, o Campus passa a contar com outras unidades de ensino. Isso acontece no começo da década de 70, quando quatro departamentos da EESC deram origem a mais duas importantes unidades universitárias:

  • o Instituto de Ciências Matemáticas de São Carlos (ICMSC), que surgiu da união dos Departamentos de Matemática e de Ciências de de Computação
  • e o Instituto de Física e Química de São Carlos (IFQSC), formado, então, pelo Departamento de Física e Ciência dos Materiais e pelo Departamento de Física e Química Molecular.

Mais tarde, em 1994, o IFQSC se divide, resultando na criação do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) e do Instituto de Química de São Carlos (IQSC).  Em 1998, o ICMSC muda de nome e passa a ser chamado de Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC).

A unidade criada mais recentemente, também como fruto da consolidação das atividades desenvolvidas na área, foi o Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU), aprovado em dezembro de 2010, e em fase de implantação.

Hoje, essas cinco unidades de ensino - EESC, IAU, ICMC, IFSC e IQSC -, somadas à Prefeitura do Campus USP de São Carlos, ao Escritório Regional do DTI, ao Centro de Divulgação Científica e Cultural a outros órgãos/serviços, formam a USP-São Carlos. Com o crescimento de sua estrutura ao longo dos anos, o campus universitário ficou limitado e, em virtude disso, em 2001, teve início o processo de expansão para uma segunda área. Popularmente chamado de Campus 2 e com mais de 100 hectares, o local foi oficialmente inaugurado em 4 de novembro de 2005, ano em que passou a incorporar as atividades acadêmicas da Universidade na cidade.

Números da USP-São Carlos

EspecificaçãoTotal
 Alunos de Graduação 5.199
 Alunos de Pós-Graduação * 2.579
 Professores 531
 Funcionários 1.179
 Cursos de Graduação (incluindo o semipresencial UNIVESP) 23
 Programas de Pós-Graduação 18
 Vagas oferecidas por vestibular (Graduação) 1.090

 * não contabilizados alunos especiais e de Pós-Doutorado
 (atualizado em maio/2015)

 

fonte: Portal USP-São Carlos

Sobre a cidade

Localizada no centro geográfico do Estado de São Paulo, a cidade de São Carlos possui características especiais que a tornam um local de destaque sob vários aspectos. O clima ameno, com temperatura média anual de 19,6 ºC, somado às altitudes médias entre 800 e 1.000 metros, faz de São Carlos um local muito agradável, com inúmeras cachoeiras, curiosas formações geológicas e belíssimas paisagens.

O cerrado foi a vegetação original predominante, ocorrendo nos terrenos arenosos do planalto. Sobre as manchas de solos férteis existia uma exuberante vegetação da Mata Atlântica. Hoje, ainda há áreas de cerrado e fragmentos de mata preservada, incluindo vários exemplares de araucária de grande porte, árvore-símbolo da cidade.

CAPITAL DA TECNOLOGIA

O vigor acadêmico, tecnológico e industrial conferiu à cidade o título de Capital da Tecnologia. Suas universidades e centros de pesquisa são reconhecidos pela excelência e diversidade. A Universidade de São Paulo (USP), com dois campi na cidade, e a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) oferecem ensino gratuito e de qualidade e já incorporaram à história de São Carlos suas contribuições à ciência e à capacitação profissional de milhares de alunos.

Reforçando o caráter de pólo de desenvolvimento científico e tecnológico, a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) mantém dois centros de atividades instalados na cidade: o Centro de Pesquisa de Pecuária do Sudeste e o Centro Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento de Instrumentação Agropecuária, produzindo tecnologia de ponta nas áreas de melhoramento genético bovino e de desenvolvimento de equipamentos agropecuários.

Instituída em 1984, a Fundação ParqTec é outro ponto de destaque neste cenário tecnológico. Trata-se de uma organização não-governamental sem fins lucrativos, que tem o objetivo de gerenciar e promover o desenvolvimento do Pólo Tecnológico de São Carlos, a partir da transferência de tecnologia das universidades e centros de pesquisas para as empresas.

Diante da concentração de universidades e centros de pesquisas, São Carlos apresenta grande concentração de cientistas e pesquisadores: um pesquisador doutor (PhD) para cada 180 habitantes. No Brasil a relação é de um doutor para cada 5.423 habitantes. Graças aos centros de pesquisas São Carlos também ostenta outra importante marca: a média anual de registros de patente é de 14,5 patentes por 100 mil habitantes. No país essa relação é de 3,2 patentes por 100 mil habitantes. A cidade abriga ainda 39 cursos de graduação e 200 empresas são consideradas de alta tecnologia, em setores como ótica, novos materiais e instrumentação.

Já a atividade industrial é marcada pela presença de grandes indústrias: Volkswagen (motores), Tecumseh (compressores), Faber Castell (lápis), Electrolux (geladeiras e fogões), além de empresas têxteis, de embalagens, de máquinas, tintas, lavadoras, equipamentos ópticos e uma grande quantidade de indústrias médias e pequenas dos mais diversos setores de produção.

O comércio atende às necessidades da cidade e da região, oferecendo produtos e serviços de qualidade. E o setor agropecuário é importante na produção de leite, cana, laranja, frango, carne bovina e milho. São Carlos também é servida por excelentes estradas, que permitem o deslocamento com segurança e rapidez a São Paulo (cerca de 228 Km) e às principais cidades do Estado.

Eventos importantes marcam o calendário da cidade, atraindo visitantes e movimentando a economia local. Entre eles está a Festa do Clima, realizada anualmente no mês de abril há mais de 30 anos, conta com uma tradicional Exposição de Orquídeas, shows, artesanatos e barracas de comidas diversas.

fonte: Prefeitura Municipal de São Carlos

EESC-USP

© 2017, Assistência Técnica Acadêmica
Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo